Ásia e Pacífico

Malásia repreende Beijing por reivindicar águas territoriais

O governo malaio pede área de 200 milhas náuticas na costa do país à ONU, após China fazer a mesma solicitação

A Malásia repreendeu nesta quinta (13) a China, seu maior parceiro comercial, por suas constantes reivindicações para expandir sua jurisdição no Mar da China Meridional. As águas banham a costa chinesa e do sudeste asiático e são alvo de investidas de Beijing.

Na quinta (13), o ministro das Relações Exteriores, Hishammuddin Hussein, afirmou que o governo da Malásia apresentou os seus direitos sobre 200 milhas náuticas na costa malaia à ONU (Organização das Nações Unidas).

A China teria feito solicitação semelhante, pela porção de água, em dezembro, informou o jornal “The Straits Times“, da vizinha Singapura.

Malásia repreende Beijing por reivindicações do Mar da China Meridional
Navios estadunidentes fazem exercícios na costa da Malásia, no Mar do Sul da China, em 2013 (Foto: Amanda Kitchner/US Navy)

“A Malásia se opõe à alegação de que a China possui direitos históricos sobre essas águas“, disse o ministro. A reivindicação chinesa não tem base em nenhuma lei internacional, completou.

A apresentação à ONU acompanha a rejeição da Austrália e dos Estados Unidos às reivindicações marítimas da China.

Beijing vem marcando posição com postos de vigilância e construindo ilhas artificiais nos mares ao sul da China. O país reivindica também mais de 80% dos 3,6 quilômetros quadrados exigidos pela Malásia. Vietnã, Brunei e Taiwan também reivindicam porções de água na região.

A Malásia busca agora construir um código de conduta regional. “Se atendermos à pressão das superpotências, é grande a chance que os países da Asean (Associação de Nações do Sudeste Asiático) acabem inclinados a certos países”, disse Hussein, aludindo à China.