África

Candidato à Presidência em Uganda é preso ao fazer registro em órgão eleitoral

Popular, Robert Kyagulanyi é opositor ao atual presidente, Yoweri Museveni, há quase 35 anos no poder

O político de oposição da Uganda, Robert Kyagulanyi, conhecido como Bobi Wine, foi preso nesta terça (3) logo depois de entregar documentos para registrar-se como candidato às eleições presidenciais do país.

O pleito deve ocorrer entre 10 de janeiro e 8 de fevereiro de 2021, informou a BBC. Wine é o principal oposicionista do presidente Yoweri Museveni. No poder há 34 anos, Museveni já está no quinto mandato.

De acordo com o porta-voz do Partido da Unidade Nacional, Joel Senyonyi, policiais teriam usado um martelo para quebrar as janelas do automóvel onde Wine estava.

O político e ex-cantor foi levado à força, relatou Senyonyi. Não há qualquer esclarecimento sobre o motivo da prisão até o momento e as autoridades negaram comentários.

Candidato à presidência da Uganda é preso ao fazer registro em órgão eleitoral
O político da oposição de Uganda, Bobi Wine, em ação no Parlamento de Kampala em outubro de 2020 (Foto: Twitter/Bobi Wine)

Histórico de prisões

O candidato à presidência de Uganda já foi preso outras vezes por protestar contra as autoridades de Uganda e perturbação à ordem pública. Na última vez que deixou a prisão, em maio deste ano, o político prometeu que salvaria “Museveni de si mesmo”.

“O senhor Museveni falhou em controlar sua ganância e desejo de poder”, disse Kyagulanyi. “Nossa geração está determinada a salvá-lo de si mesmo. Vamos parar a sua ditadura de 35 anos”.

Com diversos admiradores em todo o país por sua carreira musical, Wine gera identificação com grande parte da população de Uganda. Nascido na periferia, o político é filho de traficantes e afirma querer mudar a realidade de pobreza do país de 42,7 milhões de habitantes da África Ocidental.

Museveni, por outro lado, tenta manter o posto. O presidente teve a sua candidatura à reeleição lançada na segunda-feira (2).