África

Em Uganda, abertura de fronteira gera onda de refugiados congoleses

Cerca de três mil cruzaram a divisa em três dias; outros 45 mil tentam fugir de conflito na província de Ituri

Mais de três mil refugiados da República Democrática do Congo chegaram em Uganda entre os dias 1º e 3 de julho, após uma abertura temporária de pontos de passagem na fronteira entre os dois países.

De acordo com o Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), os refugiados fazem parte de um grupo de 45 mil pessoas que tentaram fugir em direção a Uganda, após confrontos entre milícias armadas na província congolesa de Ituri.

Refugiados relataram que tiveram pouco tempo para sair de suas casas e precisaram se separar do restante da família. A maioria dos congoleses fugiu apenas com a roupa do corpo.

Mais de 3 mil refugiados congoleses chegam em Uganda em três dias
Refugiados congoleses chegam a Uganda após fugirem de violência (Foto: Rocco Nuri/Acnur)

Parte do grupo conseguiu retornar às suas áreas de origem. Porém, outros permaneceram próximos à fronteira, impossibilitados de concluir a travessia devido às restrições impostas pelo governo de Uganda para conter a propagação do novo coronavírus.

Entre os 3 mil refugiados, 65% são crianças. O grupo inclui ainda 33 mulheres grávidas — duas deram à luz na última semana.

O Ministério da Saúde de Uganda tem realizado testes de diagnóstico de Covid-19. As primeiras 570 amostras recolhidas tiveram resultado negativo para o vírus. Os refugiados receberam ainda doses de vitamina A e vacinas contra cólera, sarampo, rubéola e poliomielite.

Após passarem pelo período obrigatório de 14 dias em isolamento social, os refugiados serão transferidos para assentamentos de refugiados já montados em Uganda.