Governo do Sudão do Sul desviou US$ 36 milhões desde 2016, denuncia ONU

Relatórios apontam que desvios eram mediados pela Receita Federal do país e incentivados por bancos internacionais
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Autoridades de alto escalão do Sudão do Sul desviaram cerca de US$ 36 milhões desde 2016, denunciou a Comissão de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas), na quarta (23).

De acordo com o relatório, as ações eram mediadas pela autoridade tributária nacional e tiveram conivência de corporações e bancos internacionais.

“Os órgãos do Sudão do Sul receberam auxílio de instituições financeiras multinacionais”, disse a presidente da Comissão, Yasmin Sooka. “Parte do dinheiro foi lavado com a compra de propriedades no exterior”.

Governo do Sudão do Sul desviou US$ 36 milhões desde 2016, denuncia ONU
Campo de refugiados em Minkaman, no Sudão do Sul. Local abriga pessoas que fogem dos conflitos da cidade de Bor, em registro de janeiro de 2014 (Foto: Flickr/Geoff Pugh)

Segundo Sooka, o valor pode ser ainda maior. “Isso é somente o que conseguimos rastrear e pode não refletir o quadro completo”, disse.

A denúncia vem a público menos de uma semana depois que o presidente, Salva Kiir, demitiu o ministro de Finanças, o chefe da arrecadação de impostos da Receita Federal e o diretor da empresa estatal de petróleo.

Motor do conflito

De acordo com Sooka, a corrupção em “escala épica” não é apenas uma ramificação da guerra que assombra o Sudão do Sul desde 2014, mas um dos principais motores do conflito.

“Em um extremo, as elites políticas lutam pelo controle do petróleo e dos recursos minerais do país. Do outro lado estão os soldados que têm a chance de sequestrar e estuprar mulheres no lugar dos seus salários. As barbáries são o dano colateral”, afirmou a presidente da comissão.

Desde 2014, os conflitos no Sudão do Sul já mataram mais de 380 mil. A produção de petróleo bruto representa mais de 90% da receita nacional.

Tags: