Líbia deve receber novos mediadores da ONU para tratativas de paz

Conselho de Segurança autorizou o envio de novos mediadores à Líbia; país tenta conciliação pós-guerra civil
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) autorizou, nesta terça (15), o envio de novos mediadores à Líbia, disse a Reuters. O objetivo é auxiliar nas tratativas de paz, após meses de atraso.

A proposição veio do secretário-geral da ONU, António Guterres. Com o aval, o atual enviado ao Oriente Médio, Nickolay Mladenov, se dedicará exclusivamente à Líbia.

Mladenov substitui Ghassan Salame, que deixou o cargo em março devido ao estresse. O diplomata norueguês Tor Wennesland, atual mediador do conflito entre Israel e Palestina, sucederá Mladenov na região.

A decisão encerra meses de disputa entre os membros do conselho desde que os EUA começaram uma campanha de pressão pela divisão do papel dos mediadores na Líbia.

Líbia deve receber novos mediadores às tratativas em paz
Deliberação do Conselho de Segurança da ONU sobre o reforço diplomático na Líbia em dezembro de 2020 (Foto: UN Photo/Eskinder Debebe)

Washington sugeria que o país necessitava de dois diplomatas – um para a missão política da ONU e outro focado exclusivamente na mediação dos conflitos. Houve aval do Conselho de Segurança, mas Rússia e China se abstiveram.

A mediação da Líbia ganhou novos desdobramentos desde que o governo líbio, com reconhecimento internacional, e o exército liderado pelo general renegado Khalifa Haftar assinaram um acordo pelo cessar-fogo, em outubro.

Desde então, os grupos se encontraram na Tunísia para discutir um governo de transição ao país. Apesar de ainda não haver uma definição sobre a chapa-tampão, a Líbia deve realizar eleições em dezembro de 2021.

A Líbia está imersa em violência desde a derrubada do líder Muammar Khadafi, em 2011, à época apoiada pela Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

Tags: