Auxílio emergencial macedônio incentiva compra de produtos locais

Cartão com US$ 160 pode ser usado em empresas locais; objetivo é amenizar crise com produção nacional
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A estratégia do governo da ex-república iugoslava Macedônia do Norte, para amenizar a crise foi disponibilizar um auxílio emergencial de cerca de US$ 160. O recurso macedônio fica disponível em um cartão de crédito, mas ele só pode ser usado para produtos e serviços locais.

Segundo a Radio Free Europe, só tem direito a quantia as famílias que ganham menos de US$ 273 por mês, equivalente a um salário mínimo. Ao todo, o governo disponibilizará US$ 12,4 milhões.

Diante da dificuldade de reabertura do comércio local, outro programa semelhante incentiva gastos das famílias macedônias com turismo dentro do país, como estadias em hotéis e atividades recreativas.

Até esta quinta (9), a Macedônia do Norte registrou 7,4 mil casos confirmados da doença e 359 óbitos, de acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Auxílio emergencial macedônio incentiva compra de produtos locais
Skopje, capital da Macedônia do Norte (Foto: Wikimedia Commons)

Preferências

Os cartões de crédito fazem parte de um terceiro pacote de ações governamentais para compensar os efeitos da pandemia. Mas também é uma resposta à preferência dos macedônios por produtos importados.

Uma recente análise do governo do país de dois milhões de habitantes aponta que o gasto com produtos vindos de outros países é duas vezes maior em relação aos itens fabricados na Macedônia do Norte.

O benefício significaria não só um estímulo econômico para as famílias, mas um possível crescimento na receita das empresas locais.

Economia

Antes de ser atingida pela pandemia do coronavírus, a Macedônia do Norte previa um crescimento de 3,8% para 2020. No entanto, a previsão foi revista e agora aponta para uma retração de 4% — o quanto o país cresceu em 2019.

Para absorver os impactos, o governo destinou cerca de US$616 milhões para assistência econômica, cerca de 5,5% do PIB, segundo números da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

A organização considera como “bastante ousadas” as medidas adotadas pelo governo macedônio, devido a pequena dimensão econômica do país. Os pacotes abrangeriam ainda diversos grupos-chave severamente afetados pelo Covid-19.

A criação do cartão ocorre próximo às eleições, marcadas para o dia 15 de julho. Originalmente, o pleito ocorreria em abril, mas foi adiado devido à pandemia.

O país adotou o nome de Macedônia do Norte em 2019, depois de um longo impasse com os gregos. O vizinho do sul também tem uma região de mesmo nome, que exigia a mudança.

Onde fica a Macedônia do Norte (Foto: Google Maps)

Tags: