Acidente com navio militar do Irã deixa pelo menos 19 mortos

Erro em exercício militar deixou outras 15 pessoas feridas e pelo menos 20 ainda estariam desaparecidas
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Um navio da Marinha do Irã foi atingido por um míssil disparado por fogo amigo, durante um exercício militar no golfo do Omã neste domingo (10). As informações são do jornal The New York Times.

De acordo com as autoridades iranianas, que classificaram a situação como um “acidente”, pelo menos 19 pessoas que estavam no navio de apoio Konarak morreram. Outras 15 ficaram feridas e pelo menos 20 ainda estariam desaparecidas.

Os exercícios militares iranianos são rotina no golfo Pérsico e no mar do Omã. Os objetivos são testar o armamento produzido no país e mostrar poderio militar, em um contexto de escalada das tensões entre Washington e Teerã.

A Marinha afirmou nesta segunda (11) que o episódio está sob investigação. Ainda não está claro se o acidente foi ocasionado por erro de equipamento ou humano.

Outro erro iraniano, neste caso humano, causou centenas de mortes em janeiro deste ano. O Irã admitiu que a Guarda Revolucionária do país derrubou por engano um avião ucraniano com 176 passageiros. Dois mísseis foram disparados pela guarda.

Acidente com navio similar ao da foto divulgada pela Agência de Notícias da República Islâmica deixou pelo menos 19 mortos (Foto: Reprodução/IRNA)

Coronavírus

O acidente com o navio militar ocorre em meio ao esforços do Irã contra o novo coronavírus. De acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), até esta segunda (11), o Irã já havia registrado 107 mil casos da doença e 6,6 mil mortos.

O país está entre as nações com os maiores registros da Covid-19. O Irã já ultrapassou, em número de casos confirmados e de mortes, a China – que contabiliza 84,4 mil infectados pelo vírus e 4,6 mil mortes.

A pandemia no Irã tem abalado a confiança entre o governo e a população. Muitos culpam as autoridades por não ter imposto um bloqueio antecipado para combater o vírus. Também há acusações de que o governo de não foi transparente em relação ao número de infectados.

Tags: