Mais de 250 chineses se tornaram bilionários desde o início da pandemia

China já soma 878 bilionários – o maior número da história do país; até 1999, nenhum desses super-ricos era chinês
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Em 2020, mesmo com uma pandemia global em curso, 257 chineses tornaram-se bilionários. Com os 621 já existentes, o país agora soma 878 bilionários – o maior número da história do país.

Os dados foram divulgados na terça (20) pela fundação Hurun. Em 1999, por exemplo, o país sequer possuía uma lista, informou o portal Quartz.

Ao todo, 2.398 cidadãos chineses possuem um patrimônio líquido de mais de 2 bilhões de yuans, valor que equivale a US$ 290 milhões. A soma da fortuna de todos os ricos da lista alcança o valor de US$ 4 trilhões – semelhante ao PIB (Produto Interno Bruto) da Alemanha.

Desde 2015, a China é o país com o maior número de bilionários no mundo. Os EUA, por exemplo, possuem cerca de 700 pessoas que já romperam a barreira do bilhão.

Mais de 250 chineses ficaram bilionários desde o início da pandemia
O empresário bilionário Jack Ma em palestra ao Evento de Transformação Digital da ONU em Genebra, na Suíça, abril de 2017 (Foto: Flickr/UNCTAD)

A tecnologia é a grande responsável por tamanha riqueza. Um exemplo é o fundador e CEO da Alibaba, Jack Ma, que continua no primeiro lugar da lista pelo terceiro ano consecutivo. O seu patrimônio se aproxima dos US$ 60 bilhões – 45% a mais em relação ao ano passado.

Com expectativa de entrar na Bolsa Valores de Hong Kong e Xangai, o empresário espera US$ 30 bi no IPO (Oferta Pública Inicial, em inglês) da fintech Ant Group, o que deve aumentar ainda mais os seus lucros anuais.

Atrás de Jack Ma está o seu concorrente, Pony Ma, CEO da Tencent, que cumula um patrimônio líquido de US$ 57,4 bilhões.

Não há crise

Enquanto são raros os países que não sofrem uma forte recessão em 2020, a China já iniciou sua recuperação após ser o primeiro epicentro da Covid-19 no mundo.

Com medidas drásticas de contenção ao vírus, Beijing registra um crescimento de 4,9% no PIB no terceiro semestre. A produção industrial e as vendas no varejo empurram a recuperação após uma contração de 6,8% entre janeiro e março de 2020.

“O mundo nunca viu tanta riqueza acumulada em apenas um ano”, disse o presidente da Hurun Rich List, Rupert Hoogewerf. “Os empreendedores da China têm se saído muito melhor do que o esperado. Apesar da Covid-19, eles alcançaram níveis recordes”.

Tags: