Ásia e Pacífico

Na Índia, mortes de pai e filho pela polícia geram indignação e protestos

Pai e filho foram mortos após manterem loja aberta depois da hora permitida pelo governo

Na Índia, a morte de dois indianos, pai e filho, sob custódia da polícia, provocou protestos e indignação da opinião pública. No país, não faltaram paralelos com a morte de George Floyd, um homem negro morto por um policial branco nos Estados Unidos.

Segundo o France 24, os dois homens foram acusados de manter a loja de que eram proprietários aberta depois da hora permitida, no estado de Tamil Nadu, no sul da Índia. A região voltou a sofrer imposições para conter a propagação do novo coronavírus.

As autoridades indianas afirmaram que os dois morreram em um hospital dias depois. A família alega que pai e filho foram severamente abusados pela polícia.

Na Índia, morte de pai e filho   pela polícia gera indignação e protestos
Protestos contra a morte de dois comerciantes indianos (Foto: Twitter/Reprodução)

As mortes levaram a protestos na cidade de Sathankulam e os lojistas do estado indiano fizeram uma greve na última quarta (24).

Vários grupos de direitos humanos na Índia relataram casos de suposta tortura sob custódia policial, com mortes que a polícia normalmente atribui a causas naturais ou suicídio.

De acordo com a Comissão Nacional de Direitos Humanos da Índia, 3,1 mil pessoas morreram sob custódia polícia entre 2017 e 2018. Nesses casos, a condenação dos policiais é rara, apontam os ativistas.

Dois oficiais envolvidos na suposta tortura foram suspensos, afirmou o ministro-chefe de Tamil Nadu, Edappadi Palaniswami. O caso deve ser transferido para a agência federal até a aprovação do Tribunal Superior de Madras.