Culpado por 1,1 mil dos 2,6 mil casos de Covid-19 no Sri Lanka vem a público

Governo do país acusa Prasad Dinesh de infectar 1,1 mil pessoas, após imbróglio envolvendo a sua prisão
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

No Sri Lanka, uma única pessoa foi responsável por metade dos 2,6 mil casos do novo coronavírus no país. A identidade do chamado “paciente 206” foi escondida por meses pelo governo. Até que, nesta quarta (15), Prasad Dinesh, 33, veio a público .

Para Dinesh, seu vício em drogas, considerado crime no Sri Lanka, fez dele um conveniente bode expiatório. A informação é da agência de notícias Associated Press, que conversou com o homem.

Em abril, após ser preso por um assalto, Dinesh foi diagnosticado com a Covid-19 ao ser mandado para o hospital pelos policiais. Com medo de o vírus se espalhar, o governo enviou a marinha à vila onde o “paciente 206” vivia.

Ao ver militares, pessoas envolvidas no roubo entraram em pânico e tentaram fugir. Após a ação, 28 pessoas foram presas. Desse total, 16 receberam diagnóstico positivo para a doença.

Culpado por quase metade dos casos de Covid-19 no Sri Lanka tenta limpar o nome
Teste de diagnóstico de Covid-19 (Foto: Bruno Concha/Secom)

Nos dias seguintes, vários marinheiros de licença em diferentes partes do país também contraíram o vírus. As autoridades determinaram quarentena para quatro mil marinheiros e 200 familiares, além de isolar 15 vilarejos em todo o Sri Lanka.

Para o governo, o imbróglio foi culpa de Dinesh e não dos militares. O homem seria culpado por pelo menos três grupos de casos de infecção, incluindo a de 900 marinheiros.

O porta-voz da polícia Ajith Rohana afirmou publicamente que o homem havia “minado a luta do Sri Lanka” contra a doença.

Por causa do episódio, Dinesh, motorista de riquixá antes da pandemia, não consegue encontrar um outro emprego. Para o homem, o único ponto positivo da história foi a internação, que o teria livrado do vício em heroína.

Tags: