Grande número de médicos infectados com Covid-19 preocupa Afeganistão

Dos 925 casos confirmados de coronavírus na capital Cabul, 346 são médicos ou outros profissionais de saúde
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A confirmação de que mais de um terço dos casos confirmados de coronavírus na capital afegã, Cabul, é de médicos e profissionais de saúde, preocupa governo e comunidade internacional. O dado foi divulgado pela Reuters nesta quinta (7).

O país contabiliza até esta quinta 3,5 mil casos confirmados da doença e 105 mortes. Desse total, 925 são de Cabul — 346 deles, médicos. Os dados são divulgados diariamente pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Há crônica falta de infraestrutura no país, e não há equipamentos de proteção suficientes para os médicos. Também falta conscientização entre os profissionais de saúde para tomar precauções que evitem o contágio. Alguns chegaram a fechar suas clínicas na cidade.

Grande número de médicos infectados com Covid-19 preocupa Afeganistão
Médico da ONU em hospital no Afeganistão (Foto: Fardin Waezi/UN Photo)

As autoridades afegãs se questionam se o alto número de casos confirmados entre esses profissionais é reflexo de taxa de realização de testes entre eles, maior em relação ao restante da população.

Entre os afegãos, são raros os casos de testagem. Isso mesmo em que pessoas que apresentam os sintomas da doença, como febre e problemas respiratórios.

Ainda de acordo com o governo, entre os médicos que contraíram a doença, 13 morreram. A estatística abarca diferentes partes do país, entre abril e a primeira semana de maio. Ao menos nove deles estavam ligados a instituições públicas ou privadas de saúde de Cabul.

O governo afirma estar oferecendo boas condições de trabalho. No entanto, médicos ouvidos pela reportagem dizem que muitos hospitais estão à beira de um colapso.

De acordo com um relatório do governo do Afeganistão, divulgado em 2019, o país tem cerca de 170 hospitais e quatro médicos a cada 10 mil pessoas. O sistema de saúde, que atende uma população de 37 milhões, é dependente de ajuda de doadores estrangeiros.

Tags: