África

OMS: África corre risco de ser esquecida na distribuição de vacinas

Acordos bilaterais aumentam preço das vacinas e afastam imunização dos países mais pobres da África, denuncia ONU

Este conteúdo foi publicado originalmente na agência ONU News, da Organização das Nações Unidas

O Escritório Regional da Organização Mundial da Saúde na África alertou sobre a urgência da chegada da vacina contra a Covid-19 a todos os países do continente.

Em comunicado, a OMS (Organização Mundial da Saúde) afirma que a África corre o risco ficar para trás após vários acordos bilaterais e regionais estarem elevando o preço do imunizante.

Até o momento, 50 países de alta renda receberam quase 40 milhões de doses da vacina. Já na África, a única nação de renda baixa a receber os imunizantes foi a Guiné-Conacri. Mesmo assim, apenas 25 pessoas foram vacinadas ali.

OMS: África corre risco de ser esquecida na distribuição de vacinas
Agente de saúde prepara dose de vacinação polivalente a crianças do vilarejo de Kombaka, na cidade de Mopti, Mali, em março de 2019 (Foto: Unicef/Seyba Keita)

As Ilhas Seychelles, considerada de alta renda, é o único país africano a iniciar uma campanha nacional de vacinação contra a Covid-19. “Precisamos ter uma abordagem coletiva e pensar coletivamente”, disse a diretora-geral da OMS na África, Matshidiso Moeti.

“É injusto que os mais vulneráveis entre os africanos precisem esperar pela vacina enquanto grupos de baixo risco nos países ricos estão seguros”. Para Moeti, os agentes de saúde precisam de acesso urgente às vacinas contra o vírus na África.

Grupos prioritários

A Covax, coalizão de vacinas da OMS, conseguiu assegurar 2 bilhões de doses de cinco fabricantes com opções para mais outro 1 bilhão de doses. A iniciativa deve vacinar 20% da população até o final de 2021 em duas etapas de imunização.

Uma leva inicial de 30 milhões devem começar a chegar nos países até março com o objetivo de cobrir 3% de toda a população priorizando o cuidado dos trabalhadores de saúde e outros grupos prioritários

A distribuição dessas doses deve começar na segunda metade do ano. As agências OMS e Unicef cooperam para assegurar o transporte e estocagem de vacinas na África.

OMS: África corre risco de ser esquecida na distribuição de vacinas
Dose armazenada para vacinação em refrigerador de unidade de saúde da capital do Afeganistão, Cabul, em setembro de 2020 (Foto: Unicef/Omid Fazel)

Cerca de 42% dos países africanos estão prontos para campanhas de vacinação em massa. A meta inicial é de 80%. Esta é a maior operação da história da imunização.

Todos os 54 países do continente africano já expressaram interesse no mecanismo Covax. Oito países de alta e média rendas vão financiar a própria participação enquanto nações de renda média baixa e baixa renda poderão acessar a coalizão de graça.

A Covax já arrecadou US$ 6 bilhões em promessas, mas precisa de mais US$ 2,8 bilhões este ano. A OMS e entidades parceiras estão apelando aos doadores para ajudar a combater a pandemia.