Recuperação econômica requer novas metas, diz Fórum Econômico Mundial

Mundo precisará de métricas além do PIB e de um conjunto de ferramentas atualizadas, segundo o Fórum Econômico Mundial
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O mundo precisará de métricas além do PIB (Produto Interno Bruto) e de um conjunto de ferramentas mais atualizadas para garantir uma recuperação econômica inclusiva e sustentável.

É o que aponta a última edição do Panorama dos Economistas Chefes do Fórum Econômico Mundial, publicado no último dia 16. Segundo o relatório, números atuais de desemprego são um melhor termômetro para a saúde econômica do que as avaliações do mercado financeiro.

Reduzir desigualdades, melhorar a mobilidade social, identificar novas formas de crescimento e concentrar-se em novas medidas de desempenho econômico estão entre os principais desafios na recuperação da pandemia do novo coronavírus.

A desigualdade agravada pela crise de saúde pública deve ser abordada por meio de uma adaptação dos sistemas tributários, como no aumento de impostos sobre a renda.

Recuperação econômica requer novas metas, diz Fórum Econômico Mundial
Prefeitura de Recife reforça medidas de proteção na cidade (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)

Impactos

Os economistas do Fórum Econômico Mundial esperam que a pandemia afete dois importantes motores de progresso econômico: a inovação e a integração global.

A contração econômica afetará os investimentos em pesquisa e desenvolvimento. Isso durante um momento de ajuste com a mudança climática e a necessidade de expansão de oportunidades, diz o relatório.

Além disso, a crise pode resultar em danos de longo prazo no relacionamento entre países de alta e baixa renda. Há a possibilidade de que as empresas repatriem parte de suas cadeias, para evitar problemas causados por novas pandemias ou lockdowns.

Por isso, os governos precisam remodelar setores inteiros e criar novos mercados, tanto como reguladores quanto como investidores. Entre as possibilidades, estão energia verde, ecoturismo, reciclagem, saúde e educação.

Tags: