Sem contato físico, diplomacia se transforma em tempos de pandemia

Diplomatas reclamam da impossibilidade de ler a linguagem corporal dos colegas durante os encontros virtuais
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Sem a possibilidade de contato físico, a diplomacia das Nações Unidas se tornou dependente de vídeo chamadas e carente dos até então usuais apertos de mão e abraços.

Segundo a CNN, diplomatas acreditam que as antigas formas de fazer negócio vão mudar para sempre por causa da pandemia do novo coronavírus. Muitos reclamam da impossibilidade de ler a linguagem corporal dos colegas durante os encontros.

Hoje, as conversas cara-a-cara, que diplomatas afirmam poder mudar o rumo de uma votação, acontecem pela escrita. Já as conhecidas recepções, que aconteciam nas casas ou escritórios, agora se dão por meio de aplicativos de vídeo como o Zoom.

Sem contato físico, diplomacia se transforma em tempos de pandemia
Reunião remota do Conselho de Segurança da ONU, em junho deste ano, sobre a situação na Síria (Foto: UN Photo/Eskinder Debebe)

Reuniões sobre questões importantes no Conselho de Segurança, por exemplo, exigem ainda mais tempo até que os membros cheguem a uma conclusão. Foram necessários três meses para um resolução sobre o vírus.

À reportagem, diplomatas confessam também mudanças nos trajes. Apesar de parecerem estar vestidos formalmente, fora do vídeo ostentam peças mais casuais como chinelos e bermudas. Há ainda quem guarde as roupas limpas para as reuniões.

A ONU não escapou dos casos de infecção pelo Covid-19. Dois funcionários da diplomacia global morreram por causa da doença e mais de 100 testaram positivo nos últimos seis meses.

Tags: