Democracia no Mundo

Presidente da Polônia deve enfrentar segundo turno contra liberal

Segundo projeções, Andrzej Duda, com 41% dos votos, enfrenta o liberal Rafal Trzaskowski, prefeito de Varsóvia

O presidente da Polônia, Andrzej Duda, ganhou o primeiro turno das eleições presidenciais neste domingo (28). Agora, terá de enfrentar um segundo turno contra o liberal, Rafal Trzaskowski, prefeito de Varsóvia. A informação é da agência de notícias Reuters.

A projeção aponta que Duda ganhou o primeiro turno com 41,8% dos votos, contra 30,4% de Trzaskowski. A vitória e primeiro turno é concedido com 50% da preferência dos eleitores, como no Brasil.

Trzaskowski se tornou candidato após o adiamento das eleições, previstas antes da pandemia para maio. O prefeito de Varsóvia prometeu reparar as relações da Polônia com os aliados europeus e se opor a leis que violem normas constitucionais.

Segundo a Associated Press, Duda mantém o otimismo. Afirmou que no pleito que o levou ao poder, há cinco anos, o resultado do primeiro turno foi semelhante. O anúncio oficial será feito até esta quarta (1º/7).

Presidente da Polônia deve enfrentar segundo turno
Andrzej Duda e a esposa, Agata Kornhauser-Duda, votando no primeiro turno (Foto: Andrzej Duda/Twitter)

A reeleição é crucial para que o governo nacionalista do partido PiS (iniciais em polonês para Lei e Justiça) possa aprofundar sua agenda conservadora no país Isso inclui reformas judiciais vistas pela União Europeia como uma violação de padrões democráticos.

O atual chefe de Estado vem perdendo popularidade nas últimas semanas. Entre os motivos estão sua aguerrida posição anti-LGBT, por exemplo.

Na última semana, Duda foi aos EUA para um encontro com o presidente norte-americano Donald Trump. O polonês, classificado como “aliado exemplar”, teria usado a viagem como forma de turbinar a popularidade em baixa.

Coronavírus

De acordo com a AP, muitos eleitores respeitaram as regras de higiene para conter a disseminação do Covid-19, como a utilização de máscara de proteção, durante o pleito.

Houve também a opção de votação pelo correio, imposta para regiões do país que registram o maior número de casos de infeção pelo vírus.

Até esta segunda (29), a Polônia registrou 33,7 mil casos confirmados da doença e 1,4 mil mortes, segundo dados divulgados pela OMS (Organização Mundial da Saúde).