Diplomacia

Biden e Putin planejam reunião para junho, dizem fontes do Kremlin

Encontro ainda não tem data e local definidos; reunião ocorre em meio à maior tensão bilateral desde a Guerra Fria

Os presidentes dos EUA, Joe Biden, e da Rússia, Vladimir Putin, planejam um encontro para junho. Assessores do Kremlin concederam a informação à agência estatal russa RIA neste domingo (25), segundo a Reuters.

Conforme o assessor de política externa Yuri Ushakov, ainda não há uma data final sobre a reunião, mas a proposta para o encontro, lançada por Biden, foi “recebida positivamente” no Kremlin e é “considerada”. O ministro de Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, confirmou o plano.

Em nota separada, o diário russo Kommersant apontou que a recepção já tem data definida: 15 e 16 de junho, em um país europeu ainda não definido. O jornal citou fontes não identificadas. A reunião viria na esteira de um agravamento das tensões entre Washington e Moscou.

Biden e Putin planejam reunião para junho, dizem fontes ligadas ao Kremlin
O presidente dos EUA, Joe Biden, em encontro político com Marshalltown, Iowa, julho de 2019 (Foto: Divulgação/Gage Skidmore)

No último dia 15, Biden decretou uma série de sanções a indivíduos e organizações russas pelos ataques cibernéticos ao sistema governamental SolarWinds. Hackers agiram incólumes por semanas e teriam acessado diversos arquivos confidenciais de nove agências estatais dos EUA, incluindo o Departamento do Tesouro.

Washington também puniu a Rússia pela suposta autorização de Putin às operações de influência para alavancar a campanha eleitoral de Donald Trump nas eleições dos EUA de 2020. Moscou nega ambas as acusações.

As relações entre EUA e Rússia estão em seu ponto mais baixo desde o fim da Guerra Fria. Em uma entrevista em março, Biden afirmou que Putin é um “assassino” e, na sequência, o governo russo determinou o retorno de seu embaixador no país norte-americano.

O último encontro oficial entre os líderes dos EUA e da Rússia reuniu Putin e Trump em julho de 2018, na cidade de Helsinki, capital da Finlândia. O Kremlin não respondeu aos pedidos de comentários da Reuters.