Europa

Nem redução das emissões de CO2 acabará com as ondas de calor extremo na Europa

OMM estuda a possibilidade de um recorde de 48,8°C que teria sido registrado na região da Sicília, na Itália

Independentemente do futuro das emissões de gases de efeito estufa, a Europa continuará enfrentando episódios de calor extremo nos próximos anos. A previsão é do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática), que divulgou na segunda-feira (9) um relatório sobre a crise climática global

A entidade revela que as temperaturas continuarão subindo em todas as regiões europeias num nível superior às mudanças médias na temperatura global. Nesta semana, vários países da Europa enfrentam uma dessas ondas de calor extremo. 

A OMM (Organização Meteorológica Mundial), inclusive, estuda a possibilidade de ter sido registrado um recorde de 48,8°C na região da Sicília, na Itália.  Em Portugal, a cidade de Évora, capital da região do Alentejo, atravessa neste fim de semana uma onde de calor que deve elevar a temperatura a 42°C.  

Ondas de calor atingiram países do hemisfério norte em julho de 2021 (Foto: Tony Mucci/Unplash)

O IPCC também acredita que, com o aumento da temperatura média global, “a frequência de frentes frias e de dias gelados irá diminuir em todos os cenários possíveis de futuras emissões de gases”.

O derretimento de geleiras e as temporadas mais curtas de neve continuarão sendo observadas num mundo mais quente. Eventos extremos ligados ao nível do mar “serão mais intensos e frequentes, causando mais enchentes nas áreas costeiras”, diz o IPCC.

Uma previsão pessimista indica que, se a temperatura média global subir mais de 1,5° C nos próximos anos, haverá aumento de chuvas extremas e de inundações em todas as regiões da Europa, com exceção da área do Mediterrâneo. O nível do mar também irá aumentar, com a projeção de que essas mudanças sejam acentuadas após o ano de 2100.  

Se a temperatura global subir 2° C ou mais até meados do século, a previsão é de aumento das secas nas áreas agrícolas e ecológicas da Europa Ocidental.  

Conteúdo adaptado do material publicado originalmente pela ONU News