Político holandês Thierry Baudet deixa candidatura após escândalo racista

Político não deve concorrer às eleições da Holanda em março de 2021; conversas vazadas apontam antissemitismo
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O líder do partido holandês FvD (Fórum pela Democracia), Thierry Baudet, decidiu deixar a lista de nomes para a próxima eleição parlamentar, nesta segunda (23).

O motivo é o vazamento de conversas racistas, antissemitas e homofóbicas entre a ala jovem do partido, divulgadas pela imprensa da Holanda no sábado (21).

Em um vídeo no Twitter, Baudet afirmou que não compactua com as “mensagens terríveis”. “Quero assumir a responsabilidade política como chefe do partido e desistirei do meu lugar na votação”, disse.

As eleições parlamentares da Holanda estão previstas para março de 2021. Até lá, o partido deve escolher um sucessor para Baudet. Apesar de deixar a candidatura, o político manterá seu assento como deputado no Parlamento, disse a Reuters.

Político holandês, Thierry Baudet deixa candidatura após escândalo racista
O político populista holandês Thierry Baudet, em debate no Parlamento da Holanda, em Haia, em junho de 2017 (Foto: CreativeCommons)

O jornal holandês “Het Parool” teve acesso às mensagens em que membros da ala jovem do FvD manifestam ódio contra judeus, mulheres e homossexuais. Os textos teriam sido enviados em junho deste ano.

Este não é o primeiro escândalo racista em que se Baudet se envolve. Em 2018, o político concordou com um colega do partido sobre “diferenças de inteligência a diferentes povos e cores de pele”, registrou o jornal “Nu”.

Populista, Baudet se opõe à imigração, denuncia a mídia e se pauta por uma agenda nacionalista. De partido conservador eurocético, o político também defende a saída da Holanda da União Europeia.

Entre os 13 partidos que participam das eleições parlamentares, o Fórum pela Democracia ocupa o nono lugar em ocupação de assentos.

Tags: