Londres alerta indústrias de que fila na fronteira pode bater dois dias após Brexit

Risco é que transportes enfrentem filas de até dois dias na única saída para a UE, em Dover; alerta irritou empresários
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O ministro do Reino Unido, Michael Gove, alertou nesta quarta (23) as indústrias para que “se preparem” ou “enfrentarão filas” quando o país deixar de vez a União Europeia, em 1 de janeiro de 2021.

O governo tenta retomar negociações para novas regras comerciais com o bloco, reportou a Reuters. Mas, segundo Gove, importadores e exportadores terão de preencher uma “papelada extra”, com ou sem acordo.

“As consequências da falta de preparação não serão apenas oportunidades econômicas perdidas, mas uma ruptura com potencial de ser muito maior”, disse Gove ao Parlamento.

Indústrias devem se preparar ou haverá caos após Brexit, alerta Reino Unido
Porto de Dover, na Inglaterra, em outubro de 2009 (Foto: Flickr/Roland Turner)

Na sequência ao anúncio, líderes e empresários questionaram se o governo não poderia culpar o setor, caso o Brexit não obtenha o sucesso esperado.

“Essa declaração parece querer jogar a culpa nas empresas pelo caos causado pelo governo”, disse o legislador Kevin Brennan, da oposição.

A falta de detalhamento do governo para o período de transição burocrática interna é queixa comum há meses no setor industrial.

Hoje a única entrada da Grã-Bretanha para a Europa fica na cidade de Dover, no sudoeste da Inglaterra.

Estima-se que até 10 mil caminhões de indústrias passam todos os dias pelo local com alimentos perecíveis e medicamentos. O volume, no entanto, representa 17% da logística do país.

De acordo com o governo, até 70% dos caminhões que viajarem à UE (União Europeia) podem não ter os novos controles necessários para cruzar a fronteira. O problema pode no aumento de filas e um tempo de espera de até dois dias para chegar ao lado europeu.

Uma saída para evitar engarrafamentos é ir até o condado vizinho, Kent. Neste caso, a permissão demanda uma série de burocracias distintas das de Dover.

Tags: