Violação aos direitos humanos aumenta em Belarus, diz especialista da ONU

Com a chegada das eleições, Nações Unidas pedem ajuda para evitar uso de medidas arbitrárias contra a oposição
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Houve grave deterioração na situação dos direitos humanos em Belarus, país na Europa central, no último ano, segundo a especialista em direitos humanos da ONU em Belarus, Anaïs Marin. O relatório mais recente sobre o país foi divulgado no último dia 10.

Diante das eleições marcadas para 9 de agosto, Marin pede apoio da comunidade internacional diante da possibilidade de o governo usar leis restritivas e medidas arbitrárias contra a oposição.

O presidente Alexander Lukashenko, no poder desde 1994, concorre pela sexta vez ao cargo. Ativistas, defensores de direitos humanos, jornalistas e outros membros da sociedade civil têm sido alvos constantes de assédio e intimidação por parte do governo.

Violações aos direitos humanos aumentam em Belarus, diz especialista da ONU
Presidente de Belarus, Alexander Lukashenko (Foto: Departamento de Estado dos EUA/Reprodução)

Segundo a agência de notícias Reuters, a comissão eleitoral se recusou a registrar os dois principais rivais do presidente como candidatos nas eleições presidenciais. Viktor Babariko e Valery Tsepkalo eram vistos como os últimos nomes com chances de derrotar Lukashenko nas urnas.

O atual chefe de Estado enfrenta a mais forte oposição em anos, devido à frustração em relação à economia, direitos humanos. Lukashenko também foi um dos líderes que minimizou a pandemia do novo coronavírus – a sugestão do presidente para evitar o contágio foi vodka e sauna.

De acordo com a especialista da ONU, os bielorussos têm dificuldade de exercer os direitos econômicos, sociais e culturais. Entre mulheres, pessoas com deficiência e outras minorias, a situação é ainda pior.

Tags: