Coronavírus

ONU estabelece prioridades para recuperar países árabes no pós-Covid

Em relatório, entidade cita ajuda humanitária, diversificação da economia e auxílio a mulheres e migrantes

Um relatório da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre os países árabes, divulgado nesta quinta (23) com discurso do secretário-geral António Guterres, estabeleceu prioridades para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

A contenção da doença é a primeira e mais óbvia delas. É fundamental estabelecer cessar-fogo, mesmo que temporário, em áreas de conflito. Também será preciso fortalecer sistemas de saúde e de ajuda humanitária.

Nos países árabes, 55 milhões de pessoas dependem de auxílio das organizações humanitárias para sobreviver.

Guterres alerta para ameaça de pandemia à segurança mundial
O secretário-geral da ONU António Guterres durante conferência por vídeo sobre o novo coronavírus (Foto: UN Photo/ Mark Garten)

Diminuir o peso da dívida desses países, diversificar a economia – em muitas nações dependente do petróleo – e adotar modelos de expansão econômica mais “verdes” também figuram na lista de Guterres.

O secretário-geral apontou que as populações mais vulneráveis na região são as mulheres e os migrantes. Esses últimos, sozinhos, representam 40% da força de trabalho da região.

Investimentos que diminuam o abismo econômico e social entre homens e mulheres também deve entrar na pauta desses países. “É uma oportunidade de garantir igualdade de direitos e de participação, o que trará benefícios duradouros para todos” afirmou.

Guterres diz que região árabe tem oportunidade de se recuperar melhor da Covid-19 (Vídeo: ONU News/YouTube)

A geração de empregos, sobretudo para os jovens, também é vista como essencial. Nesses países, o desemprego é cinco vezes maior entre aqueles que estão começando a vida profissional.

Para Guterres, essas mudanças permitirão que os países minimizem o impacto de crises futuras.