China avança sobre espaço aéreo de Taiwan durante visita do presidente de Palau

Dez aeronaves chinesas entraram na zona de defesa aérea de Taiwan durante a visita da comitiva de Palau à ilha
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Dez aeronaves militares chinesas entraram na zona de defesa aérea de Taiwan nesta segunda (29), em um movimento avaliado como resposta à visita de Surangel Whipps Jr, presidente de Palau, arquipélago localizado no Oceano Pacífico, à ilha reivindicada por Beijing, disse a Reuters.

A força aérea da China tem investido contra os limites do território de Taiwan nos últimos meses, como forma de sinalizar a soberania chinesa sobre o território reivindicado. Na sexta-feira, Beijing já havia enviado 20 aeronaves à região.

Nesta segunda, os oito caças e dois aviões de vigilância apareceram menos de 30 minutos após a entrevista de Whipps sobre a pressão chinesa contra Palau, disse o Ministério de Defesa taiwanês.

Beijing avança sobre território aéreo de Taiwan durante visita de Palau
A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen (direita) e o presidente de Palau, Surangel Whipps, Jr., em visita oficial a Taipé, 29 de março de 2021 (Foto: Reprodução/Twitter/Tsai Ing-wen)

O embaixador de Washington em Palau, John Hennessey-Niland, acompanhou o presidente na visita. A nação da Oceania, de menos de 20 mil habitantes, é um dos 15 que ainda mantêm relações formais com Taipé.

“Ninguém pode ditar quem é amigo de Palau”, disse o presidente de Palau, em referência à decisão da China em banir viagens turísticas ao país. Beijing classificou Palau como “destino ilegal” devido à falta de status diplomático em 2017.

“Disseram-me que o céu é o limite [sobre as oportunidades de negócios com a China]. Mas temos que basear nossos relacionamentos na confiança e no que aconteceu no passado”, disse o presidente de Palau.

A incomum presença do embaixador dos EUA na visita demonstra o forte apoio dos EUA a Palau e Taiwan. Apesar de não manter relações diplomáticas formais com Taipé, os EUA têm se aproximado do país ao estabelecer parcerias comerciais e de segurança.

Preocupação

As ameaças já preocupam os EUA, disse um alto funcionário do governo norte-americano ao jornal britânico “Financial Times”.

Conforme a fonte, que pediu para não ser identificada, a equipe de Joe Biden já chegou a uma conclusão sobre o comportamento de Beijing. “Xi Jinping pode ver o progresso decisivo de Taiwan como importante para a sua legitimidade e seu legado. Parece que está preparado para assumir mais riscos”.

A disputa por nações do Pacífico tornou-se alvo de um crescente cabo de guerra entre Beijing e Washington. Em 2019, a China conquistou dois ex-aliados de Taiwan, Kiribati e Ilhas Salomão. Nauru, Tuvalu e Ilhas Marshall, assim como Palau, permanecem com Taipé. A China não se manifestou sobre as atividades militares na zona aérea de Taiwan.

Tags: