Ásia e Pacífico

Software fiscal do governo chinês contém malware espião, alertam agências

EUA e Alemanha afirmam que mecanismo traz programa de acesso sem autorização do proprietário; Beijing nega

Os softwares fiscais impostos pelo governo da China estão infectados com um malware espião. O alerta vem das agências de inteligência dos EUA e Alemanha, registrou o portal Nikkei Asia.

Conforme investigadores, o mecanismo permite o acesso backdoor aos aplicativos que o instalam. Na prática, é possível que um programa ou usuário acesse um sistema mesmo sem autorização do proprietário.

O primeiro alerta sobre o malware veio da empresa norte-americana de segurança cibernética Trustwave Holding, em junho. Segundo o comunicado, havia um aplicativo espião embutido no software do Intelligent Tax.

Software fiscal do governo chinês contém malware espião, alertam agências
Banco estatal chinês na cidade de Dalian, província de Liaoning, em janeiro de 2014 (Foto: WikiCommons/Yoshi Canopus)

Beijing exige que todas as empresas estrangeiras instalem o aplicativo dos bancos locais. Assim, além das corporações do exterior, o risco também atinge instituições financeiras globais que operam na China.

A agência de segurança da Alemanha também emitiu um comunicado semelhante em agosto. Segundo Berlim, as empresas alemãs devem “tomar as medidas necessárias” para evitar o spyware.

Beijing enfrenta constantes acusações sobre espionagem no exterior. Países como Reino Unido, EUA e Austrália lideram a proibição ao uso de equipamentos da gigante chinesa Huawei na implantação nas redes 5G.

Ao mesmo tempo, aplicativos como o TikTok e WeChat já foram bloqueados em diversos países do mundo. O governo chinês nega todas as acusações e diz não ter implantado spywares no sistema fiscal das empresas.