Em meio a protestos, premiê da Etiópia substitui antigos aliados e ministros

Demissões seriam "remodelação" para 2021, mas sinalizam perda de apoio de Abiy após onda de protestos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, substituiu nove altos funcionários nessa terça (18), incluindo o ex-ministro da Defesa, Lemma Megersa, seu antigo aliado.

A troca seria parte de uma “remodelação” antes da eleições, prometidas por Abiy para o próximo ano, informou a Reuters. Lemma foi substituído por Kenea Yadeta, ex-chefe de segurança da região de Oromia, informou o premiê etíope no Twitter.

As demissões, no entanto, colocam o apoio popular de Ahmed à prova. Lemma teria sido demitido por discordar publicamente da criação de uma sigla única para os partidos da coalizão governista, no ano passado.

A inclusão de Kenea seria reflexo da relação do político com a região de Oromia, berço dos protestos que levaram Ahmed ao poder em 2018. Agora ativistas temem o retorno da política autoritária praxe em governos anteriores.

O país vive intensa onda de violência e repressão policial desde o assassinato do cantor Haacaaluu Hundeessaa, em 29 de junho. Nove mil prisões consideradas arbitrárias foram reportadas por entidades etíopes.

Em meio a protestos, premiê da Etiópia substitui antigos aliados
Protesto de estudantes contra o autoritarismo do governo da Etiópia na capital, Addis Abeba, em maio de 2014 (Foto: Flickr/Gadaa)

Eleições do Egito têm baixa adesão

Já no Egito, apenas 14,23% dos mais de 62 milhões de eleitores registrados compareceram à votação para escolher os novos membros do Senado no dias 11 e 12. No total, oito milhões foram às urnas.

Como já esperado, a lista eleitoral fechada, com 100 membros partidários do presidente Abdel Fattah al-Sisi, conquistou um terço das cadeiras do Senado.

A instituição foi recriada no ano passado, após seis anos desde o último fechamento.

Ao todo, 74 candidatos foram eleitos. A Senado egípcio terá 200 membros eleitos e 100 nomeados pelo presidente.

O certame deve ter um segundo turno, nos dias 8 e 9 de setembro, para definir os vencedores das 26 vagas restantes.

Tags: