Classe média na Ásia já soma dois bilhões e deve crescer 75% em dez anos

Em 2030, dois em cada três membros da classe média global serão asiáticos; Europa e Américas perdem espaço
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A classe média na Ásia está crescendo rápido. Neste ano, dois bilhões de pessoas já haviam deixado a pobreza no continente, e esse número deve chegar a 3,5 bilhões em dez anos. Em 2030, dois em cada três membros da classe média global serão asiáticos.

A informação é de pesquisa da Brookings Institution, divulgada pelo Fórum Econômico Mundial. No total, o continente asiático tem hoje 4,6 bilhões de habitantes.

A pesquisa define classe média como uma família com renda per capita de US$ 10 a US$ 100 por dia, levando em consideração o poder de compra de cada país.

Já os números nas Américas, continente que é a casa de 902 milhões de pessoas, apresentam crescimento menos acentuado. Em 2020, a classe média já conta com 647 milhões de membros. Em 2030, essa população seria de 689 milhões.

Em 2020, classe média na Ásia soma 2 bilhões de pessoas
Movimento em uma rua de Tóquio, no Japão (Foto: Pexels)

Em estagnação, a classe média nas Américas também vem perdendo espaço em termos relativos. Se neste ano esse estrato da população americana representa 17% do total mundial, esse índice deve cair para 13% em dez anos.

A parcela europeia também deve cair: o percentual do continente no total sairá de 20% em 2020 para 14% em 2030.

No Oriente Médio e no Norte da África, o contingente cai em 1 ponto percentual no período, passando de 6% para 5%. Já na África Subsariana, o índice ficará estagnado em 4% pelos próximos dez anos.

Tags: