Ásia e Pacífico

No aniversário do fim da semiautonomia, Índia fecha capital da Caxemira

Soldados estão nas ruas e estradas foram fechadas para evitar ações violentas de grupos anti-nacionalismo hindu

No primeiro aniversário da retirada do status semi-autonômo da Caxemira, a Índia impôs um lockdown nesta terça (4) para prevenir possíveis ações violentas, reportou o jornal britânico “The Guardian“.

De acordo com administrador civil do território, Shahid Iqbal Choudhary, toda a região ao redor da cidade de Srinagar, a mais importante da região, deve ser bloqueada completamente na terça (4) e quarta-feira (5).

O objetivo, segundo Choudhary, é evitar possíveis protestos planejados por grupos anti-Índia.

“Recebemos informações sugerindo que grupos separatistas patrocinados pelo Paquistão estão planejando tornar 5 de agosto [aniversário da revogação do status da região] um ‘Dia Negro’. Ações violentas e protestos não são descartados”, disse.

Sem autonomia, Caxemira é ameaçada e tem lockdown decretado
Toda a região de Srinagar, maior cidade do território de Jammu e Caxemira, está sob proteção (Foto: Kenny/WikiCommons)

Polícia e soldados paramilitares foram até os bairros e avisaram as pessoas para que não saiam de casa. Barricadas de aço foram erguida pelo governo, e arames farpados estão nas estradas, pontes e cruzamentos.

A população do território já vem se impondo aos bloqueios severos desde março, quando a propagação do coronavírus aprofundou a crise social e econômica da região.

O território indiano de Jammu e Caxemira tem duas capitais: Srinagar, nos meses de verão, e Jammu, nos meses de inverno. No momento, as atividades administrativas acontecem na cidade agora fechada.

Decisão controversa

Em 5 de agosto de 2019, o governo da Índia, de orientação nacionalista hindu, retirou os poderes semi-autônomos do estado, tomando-o sob sua responsabilidade.

O primeiro-ministro, Naremdra Modi, também anulou os direitos especiais hereditários que os nativos tinham sobre a propriedade e o emprego de terra na região.

Aprovadas sem orientação democrática, as leis são motivo de ressentimento do povo da região. Muitos pedem pela independência do território da Índia ou unificação com o vizinho Paquistão.