Oriente Médio

Exército mata 75 talibãs e reassume controle de Kandahar, no Afeganistão

Província, localizada no sul do país, é antigo reduto do Taleban; ofensiva integra ‘operação de limpeza’ antiterrorismo

Uma nova operação do Exército do Afeganistão matou 75 militantes do Taleban no final de semana naprovíncia de Kandahar, no sul do país. Com a ofensiva, Cabul retomou o controle do distrito de Arghandab, polo de conflitos e sede de células talibãs na região.

Kandahar é um antigo reduto do grupo fundamentalista islâmico. As ofensivas teriam iniciado ainda no sábado (3) e se estenderam até a noite de domingo. As “operações de limpeza”, como chama o Ministério da Defesa do Afeganistão, também mataram terroristas nas províncias de Zabul, Kunar, Nangarhar e Takhar.

Oficiais militares disseram à agência turca Anadolu que diversos líderes do grupo extremista estão entre os mortos, como o comandante-chave talibã, Sarhadi. Testemunhas não identificadas pela emissora indiana Odisha apontaram 82 óbitos na operação.

Exército afegão mata 75 talibãs e reassume controle de Kandahar
Tanques de guerra no distrito de Arghandab, província de Kandahar, Afeganistão, em 5 de abril de 2021 (Foto: Reprodução/Twitter/Ministry of Defense Afghanistan)

O exército afegão ainda afirma ter destruído dois tanques, armas e vários veículos dos insurgentes. A operação, especialmente com ataques aéreos, deve continuar nas próximas semanas em Kandahar, disse um porta-voz.

No Twitter, o porta-voz do Taleban, Zabihullah Mujahid, alertou para retaliação e alegou ter matado 45 membros das forças de segurança afegãs na capital Cabul.

Afeganistão em guerra

avanço do Exército afegão contra militantes do Taleban ocorre em meio à negociação para um acordo de paz em Doha, no Catar. As tratativas foram retomadas em março, após meses de paralisação.

Cabul argumenta que a ofensiva é acessória à retirada das tropas dos EUA do país, que ocorre até 1º de maio. O secretário de Estado Anthony Blinken já sinalizou que Washington está disposta a postergar a decisão caso as autoridades afegãs pavimentem um caminho para o cessar-fogo.

Cabul e o Taleban deram início às tratativas mais recentes pela pacificação em setembro de 2020. As divergências entre as partes, porém, atrasaram uma conciliação e instauraram uma onda de violência no país, marcado por conflitos há décadas.