Américas

Russo pega sete anos de prisão após roubar dados de 100 milhões em redes sociais

Yevgeniy Nikulin foi condenado por roubar informações pessoais de mais de 100 milhões de norte-americanos em 2012

O tribunal federal de São Francisco, nos EUA, comprovou, no dia 29, que o hacker russo Yevgeniy Nikulin invadiu e roubou informações de mais de 100 milhões de pessoas no LinkedIn, no Dropbox e no Formspring em 2012.

Pela condenação, Nikulin deve permanecer preso por sete anos, informou a Associated Press.

À época, o hacker russo trabalhava em Moscou e invadiu computadores das empresas do Vale do Silício, instalou malware e roubou as credenciais dos funcionários.

Hacker russo é condenado a sete anos de prisão por invadir perfis online
Yevgeny Nikulin apareceu em um vídeo no Youtube gravado em Moscou em julho de 2017 (Foto: Reprodução/Youtube)

Com os dados em mãos, Nikulin conseguiu obter informações pessoais dos usuários e as vendeu em um fórum russo de crimes cibernéticos.

“A condenação é uma ameaça direta aos possíveis hackers, onde quer que estejam”, disse o procurador norte-americano David Anderson ao portal CyberScoop.

Nikulin foi preso preventivamente em 2016 na República Tcheca após uma operação conjunta com o FBI (Departamento Federal de Investigações dos EUA, em inglês). Durante dois anos, Rússia e EUA disputaram a extradição do hacker.

Na investigação ficou claro que Nikulin não operava sozinho, mas sim com uma rede de hackers, corretores de dados e espiões de Moscou.

Há indícios de que o hacker estava em negociação para vender os dados roubados para um agente do serviço de segurança russo. Nikulin já foi transferido a uma prisão federal norte-americana.