Aung San Suu Kyi pode concorrer novamente às eleições em Mianmar

Após ser impedida de se tornar presidente em 2015, a birmanesa se tornou conselheira estadual
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Aung San Suu Kyi, ganhadora do Nobel da Paz em 1991, pode se candidatar novamente às eleições em Mianmar em novembro deste ano. O anúncio foi feito nesta terça (21), informou a emissora canadense CBC.

No pleito de 2015, apesar da vitória esmagadora de seu partido, Suu Kyi foi impedida de se tornar presidente. O motivo seria uma cláusula na constituição do país, promulgada pelo governo militar anterior.

Aung San Suu Kyi pode concorrer novamente às eleições em Mianmar
Líder de fato de Mianmar, a Nobel da Paz Aung San Suu Kyi (Foto: Wikimedia Commons)

O cargo de “conselheira estadual” foi criado como alternativa, dando a ela poderes executivos. Ela também chefia o Ministério das Relações Exteriores de Mianmar, mas não tem controle sobre as forças de segurança.

A birmanesa se tornou alvos de críticas após negar o genocídio contra a minoria rohingya, durante audiências promovidas no Tribunal Internacional em Haia, no ano passado.

Cerca de 750 mil pessoas da minoria fugiram para Bangladesh desde 2017, após sistemática e brutal repressão contra os rohingya, de religião muçulmana, no país. Mianmar tem maioria budista.

Isolamento político

Apesar de ser a política mais popular do país, Suu Kyi pode enfrentar dificuldades na sua nova campanha eleitoral.

As alianças táticas formadas nas eleições de 2015 dificilmente irão se repetir. O fracasso do governo de chegar a um plano viável para dar aos grupos étnicos minoritários autonomia isolou politicamente a líder.

Tags: