Américas

Com aval do Senado, México abre caminho para mercado legal de maconha

Projeto de legalização e regulamentação da maconha foi aprovado pela maioria do Senado e segue para Câmara

A aprovação esmagadora do Senado do México ao projeto de legalização da maconha, nesta quinta (19), abre caminho para a criação do maior mercado legal de cannabis no mundo.

Na votação, 82 dos 128 senadores concordaram sobre a legalização do consumo da maconha no país, marcado pela violência entre cartéis de drogas. Agora, os legisladores buscam o apoio da Câmara, que deve votar o projeto em dezembro, informou a Reuters.

O projeto defende a redução da criminalidade vinculada ao tráfico de drogas. Se for aprovada sem mudanças, a lei permitirá que os usuários carreguem até 28 gramas de maconha sem criminalização.

A permissão de cultivo de até quatro plantas em locais privados também está em pauta. Além disso, empresas autorizadas poderão vender a erva a adultos, desde que respeitem níveis máximos de ingredientes psicoativos.

Com aval do Senado, México abre caminho para mercado legal de maconha
Pé de maconha em plantação legal do Uruguai, em agosto de 2014 (Foto: CreativeCommons/ Brett Levin)

Entre as proibições da lei está dirigir após ter ingerido a droga e a venda e uso da erva a crianças.

O consumo de maconha é um tema de discussão recorrente no México. O uso para fins medicinais é permitido desde 2017. Em 2018, a Suprema Corte decidiu que o país deveria autorizar o consumo recreativo da cannabis.

Antes da votação do Senado, políticos como a ministra do Interior, Olga Sánchez, pediram a legalização e o regulamentação do comércio de maconha no país.

O presidente Andrés Manuel López Obrador não se opôs ao projeto, apesar de ter evitado apoiá-lo em suas manifestações públicas. Seu partido, Morena, no entanto, apoiou a iniciativa. Assim como no Senado, a sigla detém a maioria nas duas Casas.