Ásia e Pacífico

Pesquisa aponta queda na reputação global da China desde início da pandemia

Confiança em Xi Jinping caiu 77% nos EUA no último ano; entre 14 países, reputação desfavorável foi unânime

A reputação global da China já não é a mesma desde o início da pandemia. Uma pesquisa da Pew Research, publicada na terça (6), mostra que uma maioria desconfia do trabalho de Beijing no combate ao novo coronavírus.

De acordo com o estudo, a confiança no presidente chinês, Xi Jinping, caiu 77% entre os entrevistados dos Estados Unidos nos últimos 12 meses. A maioria afirmou que não confia em Xi para fazer “a coisa certa” nos assuntos globais.

As respostas dos norte-americanos podem ter relação com as disputas entre EUA e China em âmbito comercial. Há meses, os dois países trocam farpas, ameaças e sanções entre si.

A pesquisa entrevistou cerca de 14,3 mil cidadãos de 14 países desenvolvidos entre junho e agosto deste ano. Em todas as nações, houve queda na percepção favorável da China. Com exceção da França, Japão e Itália, a reputação de Beijing é a pior desde 2002.

Pesquisa aponta queda na reputação global da China desde início da pandemia
Manifestante segura cartaz que adapta bandeira da China com símbolo da suástica usado por nazistas em protesto em Hong Kong, em outubro de 2019 (Foto: CreativeCommons/Etan Liam)

Pandemia azedou relações

Se a visão global sobre Beijing já registrava desgaste antes de 2020, o surgimento do vírus no país derrubou reputação da China desde então. Entre os entrevistados, 61% acredita que Beijing lidou mal com o surto.

As quedas mais expressivas vêm da Austrália e EUA. Em 2017, 64% dos australianos consideravam positiva a relação com a China – então sua principal parceira comercial.

Desta vez, no entanto, o sentimento só é compartilhado por 14% dos entrevistados. Além disso, 81% dos australianos relatam ter uma “opinião desfavorável” de Beijing.

Austrália e China também vivem um momento conturbado nas relações bilaterais. O governo australiano discorda das investidas chinesas sobre áreas cada vez maiores do Mar do Sul da China.

Já nos EUA, as opiniões negativas sobre o país asiático aumentaram quase 20 pontos percentuais desde a eleição de Donald Trump. Em 2020, mais de 70% dos entrevistados têm uma visão desfavorável da China.