Ásia e Pacífico

Por proteção, Japão planeja barrar fornecimento de drones chineses

Objetivo do governo seria proteger informações confidenciais; Tóquio tenta equilibrar relação econômica com China

Fontes ligadas ao governo do Japão confirmaram à Reuters que o país planeja barrar o fornecimento chinês de drones. A preocupação do governo japonês seria a de proteger informações confidenciais e reforçar a segurança nacional.

O Japão teme problemas de tecnologia de informação, cadeias de suprimentos, segurança cibernética e propriedade intelectual. Tóquio tentará equilibrar os temores do governo de Yoshihide Suga com a profunda dependência comercial e econômica da China.

Grande parte dos drones do Ministério da Defesa do Japão são de fabricação chinesa. O órgão e a Guarda Costeira, no entanto, afirmaram à agência de notícias que não estão usando os equipamentos por “segurança”.

Por proteção, Japão planeja barrar fornecimento de drones chineses
Versão de drone chinês de janeiro de 2013 (Foto: CreativeCommons)

O motivo seria a demanda por proteção contra vazamentos de dados nos drones, disseram fontes. Os equipamentos são utilizados para trabalhos confidenciais, como investigações criminais, infraestrutura e resgates de emergência.

Se passar a valer, os fabricantes japoneses de drones esperam se beneficiar com a mudança. Só em 2019, o Japão adquiriu US$ 1,35 bilhão em equipamentos do tipo – um aumento de 51% em relação a 2018. A expectativa é que o mercado triplique em tamanho até 2026.

“O Japão manterá laços diplomáticos com a China, mas responderemos com mais cuidado às tecnologias e informações sensíveis”, disse outro funcionário do governo.

A disputa comercial entre China e EUAgerou impacto no mercado tecnológico. Com alegações sobre supostas interferências na política interna a partir de redes de tecnologia de empresas como a Huawei, vários países já boicotaram a gigante asiática, como Reino Unido, EUA e Austrália.