No Oriente Médio, Líbano e Omã serão os únicos a não iniciar recuperação em 2021

Nos outros países da região, espera-se uma retomada lenta e alta no PIB de cerca de 2% a partir do próximo ano
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Mesmo em recessão, todos os países do Oriente Médio devem ter alguma recuperação econômica em 2021. As exceções são Líbano e Omã, que enfrentam forte crise, informou o FMI (Fundo Monetário Internacional) em um relatório publicado na segunda (19).

De acordo com o FMI, a economia global teve retração de 4,4% em 2020. Essa é a maior queda anual desde a Grande Depressão, em 1930.

Com uma contração de 25%, a economia libanesa é a que sofrerá o maior impacto nos anos seguintes.

Líbano e Omã estão fora da recuperação econômica do Oriente Médio em 2021
Mulher vende os poucos alimentos que restaram após a explosão do porto de Beirute, no Líbano, em 6 de agosto de 2020 (Foto: Unicef/Ramzi Haidar)

Se antes da pandemia as estimativas contavam que 45% da população terminaria 2020 na pobreza, hoje o índice é ainda mais preocupante: 75% dos libaneses tendem a entrar em 2021 mais pobres.

Enquanto tenta se reconstruir após a explosão que deixou mais de 200 mortos e feriu seis mil pessoas, Beirute busca formas de pagar a dívida pública que corresponde a 175% do PIB (Produto Interno Bruto) do país.

Já em Omã, mesmo com a exploração de petróleo, a contração econômica deve ser de 10%, apontou o FMI.

Recuperações

Mesmo nos países mais ricos do Oriente Médio, a recuperação econômica não será rápida em 2021. Na média, a atividade econômica retrocedeu 6,6% em 2020 e há expectativa de uma ligeira retomada, de 2,2%, em 2021.

Na Arábia Saudita, por exemplo, a única forma de corrigir a contração econômica de 5,4% foi triplicar os impostos sobre o petróleo para 15% e aumentar as taxas alfandegárias.

O FMI alertou que subir impostos seria mais adequado somente após a crise. Com a correção nos preços, o preço de barril de petróleo deve subir para US$ 46,70 em 2021 – US$ 5 a mais que o praticado em 2020.

Com o maior número de mortes diárias pela Covid-19, o Irã viu sua economia encolher 5% em 2020. Para o próximo ano, no entanto, a expectativa é de uma recuperação de 3,2%, mesmo com as sanções dos EUA.

Tags: