Américas

EUA estendem prazo para saída das tropas do Afeganistão até 11 de setembro

Nova data ‘inadiável’ prorroga prazo de 1º maio negociado entre Donald Trump e Taleban em fevereiro de 2020

Funcionários do governo dos EUA confirmaram à revista “Foreign Policy” nesta terça (13) que Washington estendeu a saída das tropas do Afeganistão até 11 de setembro. A medida prorroga o prazo de 1º de maio negociado pelo ex-presidente Donald Trump e Taleban em fevereiro de 2020.

Conforme um oficial que pediu para não ser identificado, a data-limite não será alterada em hipótese alguma. “Isso não é baseado em condições. Elas têm sido a única abordagem nas últimas duas décadas e são uma receita para ficar no Afeganistão para sempre”, disse.

A saída, segundo ele, será “ordeira” não apenas às forças dos EUA mas também aos aliados. “Manteremos o princípio de entrar juntos e sair juntos. Levaremos o tempo necessário e não mais que isso”. A decisão vem na esteira do novo declínio do Taleban às tentativas de negociação para um cessar-fogo e acordo de paz no Afeganistão.

EUA estende prazo para saída das tropas do Afeganistão até 11 de setembro
Soldados dos EUA na província de Kalagush, Afeganistão, em junho de 2007 (Foto: Divulgação/U.S. Army/Michae Bracken)

Líderes dos EUA e da ONU (Organização das Nações Unidas) esperavam dar um ponto final ao conflito em uma cúpula de dez dias na Turquia, a partir desta segunda (12). O Taleban, porém, disse “não estar pronto” para dar continuidade ao processo.

Nesta terça (13), a ONU confirmou que uma nova conferência deve acontecer entre os dias 24 de abril e 4 de maio, em Istambul. Até agora, as profundas divergências entre o governo afegão e o partido islâmico atrasaram as diversas tentativas por um cessar-fogo no país imerso em conflitos do Oriente Médio.

Escalada de violência

Conforme o alto funcionário, Joe Biden alertou o Taleban sobre o risco da escalada de violência contra as tropas norte-americanas ou aliadas até a conclusão da retirada. Washington teme que, com a decisão de postergar sua saída do país, militantes talibãs direcionassem seus ataques aos soldados no país.

A violência aumentou no Afeganistão desde a assinatura do acordo que negociou a saída das tropas entre o Taleban e os EUA, em fevereiro de 2020. Para o governo afegão, os talibãs buscam gerar insegurança no país e, assim, pleitear vantagens nas negociações do acordo de paz.

“Comunicamos ao Taleban que, se realizarem ataques contra soldados estrangeiros enquanto realizamos a retirada, vamos revidar com mais força e os responsabilizaremos por isso”, relatou o oficial. Pelo menos 6,5 mil soldados da Otan e 2,5 mil soldados dos EUA permanecem no Afeganistão.

Mais de 2,3 mil militares norte-americanos morreram na guerra do Afeganistão – a mais longa dos EUA. O envio das tropas ao país moldou a característica da política externa dos EUA com o então presidente George W. Bush após os ataques terroristas de 11 de setembro.